domingo, 21 de dezembro de 2014

Ao Seu Lado

Se seu grito não foi ouvido,
Faça-o ecoar de dentro dos seus poros
Isso se chama energia
Fósforos em chamas
Palavras não ditas, mas sentidas ao Seu Lado
Por quem Exatamente Devia Estar 
Sentado ao seu Lado
Junto aos mosquitos
Junto ao abraço

                          Alexx Albert

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Cegueira

Eu grito teu nome nas esquinas controversas.
O vento ecoa
E atinge feito flecha as partes dormentes do meu corpo.
Um soco no basso me abaixa pr'um outro espaço...

Eu tento ver na neblina
Alguma sombria sombra de tua silhueta.
O tempo atenta aos meus movimentos
E eu lembro do tempo em que eras minha...
As tuas palavras que na manhã me afligiam
Hoje me fazem falta nessa hora fria.

Eu não consigo acordar mais sozinho do que acordo agora.

Nada,
Nada substitui as tuas palavras mal ditas,
E se eu contar ninguém acredita,
Mas os teus defeitos foram feitos pra mim.
Os teus reclames, teus bocejos, os teus pretextos de "não-erros",
Eu quero eles de volta,
Nas manhãs frias e tortas que eu não consigo mais tragar.
A palavra certa eu não tentei dizer na hora certa
E a verdade comprimida nas minha células
São esfoliadas e renovadas às mesmas velhas.

A minha pele permanece encrostada desse sentimento que já nem mais me invade,
Permanece sempre na neblina da esquina
A saudade de todas as horas frias, matutinas,
A saudade de ter você na minha vida,
Novamente.

Continuo a procurar na escuridão,
As palavras erradas nas horas certas
E/ou vice-versa...Já não interessa.
Continuo tentando tentar ver você.
Eu acho que estou ficando cego
De tanto forçar as vistas e enxergar alguma coisa que não é mais...
A madrugada retrata a dor
E trata de limpar o vermelho amor que não mais sustento
E é esse o meu erro, não ter aceitado os defeitos
Que tanto reclamei e que agora sinto falta
Na cegueira da madrugada...

PS.:
O que foi um sonho vira pesadelo,
E se no seu pensamento está tudo certo
É porque os olhos já estão cegos
E o coração aberto sangra mais um litro,
De puro sangue de um amor sombrio.

                                                Alexx Albert

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Câncer e ascendente Aquario

Vamos nos encontrar
Em algum lugar
Onde possamos sentar lado a lado;
E de mão dadas
Na conversa ou calados,

Possamos desfrutar um do outro
A energia
De um desejo duradouro,
Não velho, tampouco novo,
Mas como no estar renovável, 
Ainda...

E ainda...
...ainda que ambos mudamos mundos,
!QUE SONHOS SEJAM REALIZADOS!
E que nos entendam...

Vamos desfrutar calados
Dessa presença lado a lado
Quando um zumbido etéreo
Trilhar sonoramente nossos lábios 
Absolvidos da saudade
Absorvidos do desejo renovável
Ávidos de um futuro Libertário 
A contradição de um Câncer
E um ascendente Aquário

                                            Alexx Albert

Ter o sol em câncer significa a preocupação com a criação de bases para se construir coisas, significa o fincar raízes para o início do desenvolvimento mais definitivo. Aquário já representa um momento em que a coisa inclusive já se desenvolveu e já deu o que tinha que dar, é o momento da destruição, do ruir das estruturas antigas e o abrir caminho para o futuro, o esquecimento do passado. Do que adianta ficar criando bases se você nem espera as coisas se desenvolverem para destruí-las?

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Colmeias

E Hoje em dia
Todas as modas
As prosas
Os conceitos de cores
Prediletos
Incolores
As historias da gente
E onde
Preceitos infames
Misturas de anos
De musicas
De exclames!!!

Tudo isso são colmeias
Misturando os seus enxames 

                               Alexx Albert

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Firme Talho

Tem coisas
Que para você
Não é preciso ser dito
É sentido de longa data
De dois espíritos
De carta
De lucro
De Bate lata.
É administrado na Marra
É firme talho na carne de nossas almas
Como alguém que espera algo pra beber
Contando com os olhos
Todo o seu Viver...

                               à Duda Seffrin
                              Alex Albert

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O trem

me liberta do volume alto das aspirinas efervescentes em um copo
me liberta dos maus tratos
me liberta do gato que geme na rua
me liberta da possessão
e faz um parto na estação;

eu pego o trem!

                         Alexx Albert

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

A Noite

a noite é seria
alguns mosquitos
invasivos
e eu não estou bem para ficar sozinho
a noite é cheia de orifícios
precipícios
pra se esconder
ou se atirar no suplicio
a noite é de dar dó
e eu não estou bem para dormir sozinho
a noite é um caminho paulatino
para a dor chegar aos pouquinhos
zumbir no ouvido
na mente 
na desilusão
a noite é um mosquito picando 
sugando o sangue 
que ainda há
no coração

                     Alexx Albert

sábado, 26 de julho de 2014

O Que Há Em Você

Quer me fazer gozar a todo custo.
Aproveita do meu despudor
E usa, em plena noite, o meu corpo desnudo 
Em um sofá de açoite
Como quem quer me dar prazer...
Mas com as roupas postas
E a sua vergonha exposta não adivinha 
Que para fazer explodir a minha gloria
É só preciso que você creia
Que o meu prazer 
É o que há em você

                                    Alexx Albert

sexta-feira, 25 de julho de 2014

apenassente

a pena sente
que apesar de leve
ela apenas sente
que alguma coisa pesa
que alguma coisa a faz sentir pena
do que ela mesma sente

                                                   Alexx Albert

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Sobre Até o Estouro Acontecer I

Todos os pontos de vista são únicos,
E se não fossem pontos,
Não teriam vistas...
O que você vê agora?
Qual o prisma que sua leitura atinge?
Sua pupíla esta dilatada?
O que te lembra a palavra farsa?
Onde você esteve ontem a noite,
Enquanto dormia?
                   

                                         sobre até o estouro acontecer
                                          Alexx Albert

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Sem Esmolas

Me tranco na gaiola
Sentado aos pés da cama
Desola uma dor que pede esmolas a mim
E não tenho nada a doar
Estou pobre de sentimentos Nobres
Estou farto de não poder me Ajudar...

                                    Alexx Albert



domingo, 20 de julho de 2014

Ver IX

Não pretendo Sugar sua Alma
Só o seu corpo
Violar o seu umbigo
Respingos de querer adentrar nesse fogo rápido
Aflito
Axilas
Fogos de artificio


Quero te fazer meu
Nem que seja por um só pouquinho

                                                    Alexx Albert

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Menos Horizonte

Na Praia
Sonhar
Só Mar
Até o dia em que possa ver
Nem que seja de longe
e Já vendo longe, o sonho
Cada dia mais perto
Menos horizonte


                                      Alexx Albert

domingo, 22 de junho de 2014

Línguas

Línguas
Línguas nas Línguas
Línguas nas partes
De uma Poesia
Fonética sexual adquirida
Volúpia intrometida
Em um clitóris
Que agradece a rima....

                                         Alexx Albert

domingo, 8 de junho de 2014

Amolecer

Dormir
Faz com que
Amoleça
Não só o Corpo,
Mas também,
Aquilo que a gente
Pensa...

                    Alexx Albert

sábado, 7 de junho de 2014

Cassação

Abandono em Massa.
Tomam conta as traças da casa,
Dos corações supostos,
Estéreos de sentimentos maternos.
Tomam conta das casas as traças,
Dos coração,
das misérias, dos esperados
Retornos de amores apagados,
Enfados,
Mandatos de Prisão, estelionato
De um antigo Romance Cassado

                                       Alexx Albert

domingo, 1 de junho de 2014

Orgasmo #2

Sua genitália reflete dourada
Quando úmida mostra desejo nos lábios
Escorre mel de fadas
E inchada da abelha lhe picar
Sonha que é um sonho recheado
Sonha porque é mais fácil
Do que acordar Sozinha no Quarto

                     Alexx Albert

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Um Menino

Um menino
Pensa em tanto destino 
Sozinho
Que o antes escolhido
Já se escondeu


                            Alexx Albert

terça-feira, 13 de maio de 2014

Olhar em Vão

olha como ele chora
quando a mãe não olha por ele
e olha pelo espelho imóvel
o rastro
chama do automóvel
do pai desse criança
destruindo uma infância
imóvel é o corpo no chão
essa mãe olha em vão!

                       Alexx Albert

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Atos


inimigos de palco                                        amantes de vida
  desejos de olhos                                        fulgores de rinhas
                   trocas de texto                    
de papéis                                                      de bauxitas
milhares de cacos partidos
    estilhaços                                                      para-brisas    
    pés pra tocar                                             bocas para beijar
cortinas a subir                                           atos a completar

Alexx Albert

sábado, 26 de abril de 2014

Encharcada

Ela parava em toda Porta,
Toda Janela.
Na escada estreita, 
Permeava esguia e Sonolenta
Saleta adentro...
Um lençol molhado 
Permanecia na Chuva
E ela,
Um cobertor no Varal...

                                       à poeta Cidália Pinto
                                     Alexx Albert

Opereta

Onde estão os Meus amigos Poetas
Pra me contestar Sobre as Modestas
Emoções que Pretendia levar em Cena
Reunindo na Rotunda uma Atriz Pequena
Exposta nua e Obscena
Tal qual Profana
A atriz Mereça recitar o Seu Poema


                                           Alexx Albert

quinta-feira, 24 de abril de 2014

De repente já passou até o Fevereiro

De repente tudo para!
Tudo parece férias do repente
Parece que eles se repetem
Nas línguas e nos fonemas rimados,
Na rima dos mal falados
No calor folgado de um verão janeiro malogrado...
De repente tudo para
E se acaba, se esvai com o tempo
De repente já passou
Até o Fevereiro!!!

                            Alexx Albert

domingo, 20 de abril de 2014

Escondidos

Sobre os poemas que se encontram
Ambos de pelos nas pernas 
E aprendem que serão "apreendidos"
Se vier acontecer um novo escândalo
Nas suas vidas...
Por horas eles estão escondidos,
Por hora precisamos parar com isso
Porque por vezes, e muitas vezes,
Acontecem os suicídios...

                              Alexx Albert

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Beleza Manifesta

Mulher no Divã - Di Cavalcanti
a beleza tem te sitiado
a cidade está um fardo por causa disso
os homens correm pelados dentro de ti
correm todos por aí
por valor de manifestação sem objetivo
a beleza tem te feito um pouco sofrido
quando devia ser de bom apreço
apreciado
de bom gosto
apreciado de dentro
"haverá um tempo em que tudo isso será mais belo"
e há de ser quando todos formos velhos...

                                                        Alexx Albert

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Lida

Linda.
A sua forma é linda
De não precisar tanta dica
Pra descobrir o terceiro olho da barriga,
Da torre inimiga contra a aflição contínua
De não derruba-la sobre um precipício
E reforçar o ofício inseguro
Que vai marcar a sua lida,
A sua vida

                           Alexx Albert

segunda-feira, 14 de abril de 2014

O Erotismo

O erotismo me possui
Dois dedos acima do umbigo
E um puxar de cabelos é um fascínio
Quase tão incontrolável
Como uma tentativa de domar o corpo
Em um espaço de Orgasmo


                                    Alexx Albert

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Sobre a Missa

Eu não aguento
Você sendo triste
Nesse disparate
Nessa página de algum fetiche
Livro novo 
Inútil utilitário
Eu não aguento nem um dia
Sem um sexo rápido
Sem um humor barato
Um anime, mangá
Um bolo batido
O essencial matutino
Um café
Um sorriso 
Uma descarga econômica...

E a porta é fechada como se não houvesse outra!


Alexx Albert
                                (Reclama, 
Usa
Tem seu Lazer 
e é servido...
Dorme e acorda de novo, 
pra de novo fazer tudo isso.)
                                                                 

terça-feira, 8 de abril de 2014

Salada Cítrica

Me lembrei de você
Quando essa moça
Bergamota
Entrou e sentou;
Banco de ônibus.
Aqui no Rio de Janeiro
Não tem essa fruta:
-É Tangerina!
Há uma mistura tão grande de espécies por aqui
Que vez em quando,
E até normal,
Aparece uma mexerica.

Eu gosto tanto dessa Salada Cítrica!

                                           Alexx Albert

sábado, 5 de abril de 2014

Abundante

Sempre teve os lábios grandes.
Sempre houve baba durante a noite
De tão relaxada e ofegante.
Sempre dormiu o suficiente com seus homens
Pra ficar dormente
E matar a sede do sangue pulsante
Nas suas terminações nervosas mais excitantes...

Sempre teve uma vida abundante!

                                        Alexx Albert

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Izumi

Manda chamar a Izumi
Para colher os Narcisos desse campo.
Manda um pouco de pranto
E Influi nas cores desse arco-íris
Gotejando um Orvalho de lágrimas do seu suor Oriental.
A lua atravessa a estrada das nuvens e está Laranja.
Há também Narcisos laranjas?
Deve haver,
Pois como branca,
A lua por vezes se faz laranja,
E os Narcisos desse campo
Se admiram da beleza,
Espelho d'água original,
De seu oriental nome,
Uma fonte um tanto confusa,
Em processo de transação,
Que Muta como a Grande Deusa Lua, 
A Mãe!

                                                 Alexx Albert

terça-feira, 1 de abril de 2014

Vilões

Sobre essas coisas que estão acontecendo,
Sobre esse roteiro:
Sobre esse roteiro não acabado,
Sobre as amizades oportunas,
Amadas Inoportunas.
Sobre os ombros alheios,
Sobre a falsidade das pessoas pelos previstos propósitos inteiros.
Sobre as fotos feias,
Sobre a maldade de vestir uma camiseta... e atuar...


                                                            Alexx Albert


segunda-feira, 31 de março de 2014

Vaidade

Mulher na Janela- Salvador Dali
Quando ela saía em meio ao tédio
O ritual era sempre o mesmo pálido:
Um hidratante velho era passado
Na pele áspera dos sempre belos.
A vaidade em uma sombra em pó,
Compacto já fora antes arroz,
E um batom,
Um batom moderno para um tempo moderno
Um batom feroz
Que lhe leva a sério quem a vê
As faces tortas de um choque térmico.


                                            Alexx Albert

domingo, 30 de março de 2014

Estréia


Quero encontrar ela;
E que me faça de pré-estreia num dia.
No outro me faça de poesia,
Me leve ao delírio com alguns defeitos
E algumas diferenças de um sexo primeiro
Entre dois humanos de uma diferente "alcateia".

E eis, que sem perceber, foi-se a nossa estréia...

                                             Alexx Albert

quarta-feira, 26 de março de 2014

Noturna

Talvez essas minhas pintas
Me matem um dia
Esses sinais de não-nascenças
Que nasceram vermelhas
Talvez me matem um dia na esquina
Balas-perdidas no meu corpo
Vermelhas
Marrons 
Pendentes
Talvez elas me causem um acidente
Quando nascerem vermelhas
Algum dia
De repente
De uma esquina...

                  Alexx Albert

quinta-feira, 13 de março de 2014

Início



Um Sonho de vida Nasce
Toda vez que a gente Parte
Com um sorriso no Rosto

                                Alexx Albert

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

A Palavra



Não é a Palavra que esta sorrindo
Nem é o elo mais por terra
Que me empresta ela,
Que corre o risco
De ser levada pelas ondas ou
Pela ventania até o Lavradio.
Não é um surto verborrágico 
Que faz dela um Palhaço,
Ou uma cidade inteira que lhe deve um aplauso 
Por um pouco de vida levada ao acaso.
Não, não é por isso!
É pela carência do escrito,
Pelo aço dobrado em quatro
Formando janela em palcos baixos,
Pelo escrito chulo que é valorizado em meio a encantos literários!
-Não levantes a voz para ler certos autores...
E nem para me dizer onde devo coloca-los...

                                                          Alexx Albert