sábado, 22 de dezembro de 2012

Tudo na Mesma


a estrada esta correndo rua afora pelo brasil inteiro.
pra cada canto um novo canteiro é produzido
e a gente continua mais falido do que nunca!

o mundo inteiro para por uma musica
e o som da cordilheira continua andando antes dos andes...
o vento tem um som valioso,
e o prato de todo dia não é mais o pão
nem a globalização compreende o porque das pessoas
estarem mordendo as línguas e quebrando os dentes!
-eu te amo!
sono profundo em afundado marasmo.
um novo trago é servido na minha casa
e não sei porque as partes baixas do jogador
chamam tanta atenção de Lucília
"- Lucília, ouça o q eu digo,
quando eu falo do político,
do roubo,
da extorsão,
do raciocínio.
Eu não estou falando de meu umbigo"

Um cidadão do norte morreu lá no sul e por lá ficou.
Enquanto o frio congelou a grama
O norte estava em luto,
E não tinha nem "um puto tostão" pra levar o corpo.
Indigente...
Normalmente a frase solicita um sujeito,
Mas a divisa se fez da falta do dinheiro,
Muro de Berlim sem testar algum fim combinado
E quanto mais eu falo, menos presta,
Lucília toma mais uma dose e já pensa na festa,
o tempo continua sempre às pressas...
Tudo está na mesma "merda".

                                                          Alexx Albert

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Caixa de Entrada


Eu tenho me Perguntado 
O que há de errado com você.
Ou se sou Eu?
Que defesa é essa que você esta buscando, 
E se realmente é isso?
Ou sou eu 
Errada
O que é que eu sou?

Ontem 
poema
Me confundi comigo mesma
Travou no tempo, depois
percebi que continuava sendo eu
com a bunda na cadeira
e os emails na caixa de entrada.

A pilha de livros
o monitor, as fotos 
o auto-castigo.
Não tinha confusa, nem confusão 
tinham cigarros apagados, 
abandonados,
equivocados!

equivocados? equívocos? Equivoquei?

-Não!!!

Eu apenas estou Presa, 
prenha de tuas situações
Você alimentou, me deixou anseios
e alguns emails na caixa de entrada!!!

Estou sendo cozinhada em palavras mal ditas e não terminadas
Nada terminou
Ficou,
Faltaram as Palavras!!!

Estou sendo cozinhada e apalermada a Nada!!!
Ontem 
Poema
me confundi comigo mesma,
Já contei isso???
onde é que foi parar esse homem que eu conheci????
ou eu confundi?

se confundi
é só pelo simples fato 
de que a cachaça fez efeito 
e eu ando acordando no meio da noite
durante o dia inteiro,
ainda pensando em você...

Embora eu não tenha acordado agora
e  muito menos eu vá dormir
eu lanço a palavra muito importante:
Atualizar a página,
e verificar os emails 
Na caixa de entrada

                             Alexx Albert

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Soneto Bissexto


Antes Que fosse Tarde Pedi a Última Garrafa
Bebi em Quinze minutos,Pedi Mais Um Maço
E Fui escurraçado. Passei no espaço,gritei de uns Tragos
e Peguei o Rumo dos meu Pés Cansados

Zigue-zagues nas calçadas de Paralelepípedos Atravancados
E no rumo desses passos Orvalhados eu Prestei atenção em Muito,
As mãos eu já Achei Velhas, os dedos amarelados
e enquanto esperei pra acender um outro cigarro

eu lembrei daquele que tinha apenas 18 anos
e teria muito mais pelos pigarros talvez
Pelo que Gastava em Sua Vida, vinte e nove o caberia

Pois esse fora em algum dia o numero de garrafas que bebemos
o número de vezes que discutimos e o número dos dias do mês que Vivemos.
Em um Fevereiro: Bissexto...

                                                                          Alexx Albert

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Monólogo do Café Sem Açucar


eu saí do meu apartamento de numero oito aquela manhã
e corri até o cinco...
eu precisava de carinho, conversa, amigos
eu precisava companhia pra dividir a Dor
e aflito, toquei a campainha...

Abriu-me a Porta uma senhora de fisionomia fria,
Abriu-me com o olhar doído,
Abriu-me.
Eu só queria a poesia, a doçura,
os bibelôs nas paredes, as pratarias,
os vasos, o lenço na cabeça,
os quadros,a namoradeira,
a cortina de treliças,
eu queria lhe contar da minha vida!!!

Pedi:
-Você Teria açúcar por favor???

E num Torpor ardente a Porta se fechou
como se o vento a Batesse em corrente...

Restavam 3 ou 4 dos vizinhos mais chegados,
e um deles era o 16!!!
Pois como se eu virando as costas à porta
que acabara de me calar na cara,
pensei duas vezes, talvez, se deveria ir...

Fui.

Um Tal cheio de pelos e sensos me recebeu à porta
e eu pensei: deves ser outro!!!
Conferi o numero do antegosto
e percebi que era o mesmo...
ele tinha uma mancha na pele,
ele era nojento,
e era como se eu tivesse chegado naquela porta a esmo
e como eu perdi o pedido pela língua,
ela calou minha poesia
sem tempo de eu abrir a boca
e o açúcar ficou a toa!!!

eu já não penso nada,
eu desisto as outras portas,
eu fujo no corredor,
tropeço na escada da raiva
e subo...
a consciência grita por mim e eu grito por vocês :
onde foram parar as doçuras?
onde estão as cocadas dos bípedes?
onde eu carrego a energia positiva de q eu preciso?
A minha caneca voltou vazia...foi isso..

eu cheguei em casa sem falar com ninguém,
e já era a última coisa que eu queria...
que se ferre essa poesia!!!
e eu bato a porta,
fecho as cortinas,
e a campainha toca...
eu vou até lá,
abro a porta e sinceramente confesso em fé
que o meu açúcar derreteu na vida
nessa casa só se tem café de agora em diante,
e eu acho que botei pó demais nessa manhã,
ta tudo amargo.
e não me custa beber todo o frasco
da minha dor,do que eu quiser
e do Meu próprio café passado...
                                                     
                                                                 Alexx Albert

domingo, 4 de novembro de 2012

Estar humano

aprenda a perceber o que está errado,
ou o que está incomodando,
e tente modifica-lo...
aprenda que o incomodo é um dano fraco,
mas que acrescentado a outros cacos,
paulatinamente torna um grande pedaço...
aprenda a ter controle nos momentos especiais,
e faça especias os momentos em que somos normais...
eu aprendi, que se alguma incomoda, não é sem razão.
aprendi, que se não vale a pena falar,
o silencio, é a melhor solução...
eu agradeço ao espaço de tempo dedicado,
agradeço ao novo dia,
à invasão de privacidade do sol,
as energias, as caminhadas,
as oportunidades que são um anzol,
e abocanhamos.
agradeço por estar caminhando
agradeço por estar contando
agradeço por ser humano...

                                         Alexx Albert

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Teoria do Relógio


Números malditos 
e palitos aflitos
que barulho é esse que não me deixa dormir?

É uma teoria da vida
Uma imposição de rotinas
Uma velhice tardia
e tudo por ele
Tudo pela paixão..


É sim, uma paixão, sim,
De correr sempre atrás dele
sempre buscando e nunca conseguindo
Ele corre
Foge da gente!!

Ela sempre me vem reclamando do maldito 
e eu estava pensando
Que amor mais esquisito esse dela!!
CORRE
               CORRE
                          CORRE
                                       BUSCA
e sempre reclamando da roleta russa
Que inferno!!

Corre pro boteco
Tá tarde tem que voltar porque ele chama,
de manhã nos joga da cama e manda ir trabalhar
Quem quer fugir dele não consegue
Porque ele é mais ágil
Ta sempre cobrando um pedágio pra não sei o quê
pra cá pra acolá
E eu to ferrado porque já to atrasado.

às Vezes da uma pane nele e nos confunde 
aí me sinto um pobre coitado,
Mas a gente vai lá e põe ele nos eixos.
Pra que??
pra ferra com resto que ainda não parou
o que ainda não atrasou??

só que, o que eu não contei a ela
é que eu também corro atrás dessa miséria
e ele me trata da mesma maneira que ela.
Será q ele é assim com todo mundo?
será não gosta dela, nem de mim, nem ninguém?
Será que ta velho pra essas coisas??

Acho que não, Nem sei
acho que o negócio é imposição
é pegar pelo pulso e botar tração...

Quando ele era novo era só acertar e dar corda
e agora moderno quer estar sempre na moda
eu um dia despacho essa culpa
transformo e domino esse imposto companheiro vital
expulso de mim essa falta de tempo pra tudo
e tranquilo sairei,
Eu e meu relógio de Pulso!!!

                                                     Alexx Albert

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Morrer

morrer não é simplesmente morrer!
morrer é ditar textos hediondos,
é pegar o tempo todo na palma da mão
e passar pelos dedos nervosos,
é estar em contato com dois planos
e se não me engano só se resta torcer ao acaso
de algum sofrimento momentâneo
não ser mais prazeroso
do que os dedos todos do tempo pouco...
quem morre deveria ter o direito de permanecer em silencio...

e de um copo de uísque ...

                                          Alexx Albert

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Comes e Bebes


Deitar no teu peito
É um recheio de Caviar
Em torradas de Ervas Finas...

Eu nunca imaginei,
Mas drinque alcoólico de café gelado
É de bom grado!

                  Alexx Albert

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Sintonia


Nós temos fatos,
temos farras e produtos consumados,
Nós temos a vida dividida...

Fatos narrados,
Farras de trapos produtivos
e produtos líricos consumidos.


Não é a toa que os monstros derramaram lágrimas,
e as palavras lavaram a alma.
As mulheres, essas forma bem representadas.
As brasileiras por espanholas,
e por que não dizer francesas, gaúchas ou até cariocas
em representações de ótimas escalas...

A palavra fã vem em terceiro,
Em segundo, e logo ao lado, a palavra amiga,
Porque em primeiro, o pódio é completo pelo amor verdadeiro,
o mais puro dos sentimentos...

                                                                   à Pilly Calvin
                                                                   Alexx Albert 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Sozinha


o erotismo dispara um sorriso
pela boca do teu sexo...
teu manto de energia envolve a produção dos feromônios
e de forma engraçada ou agressiva
atrai as espécies especificas que gostas.
não te contem em soltar as palavras poucas
e sem preconceito ou pudor em todos os meios
soltas as idéias e os seus desejos...
teus lábios sonham com um beijo quando precisas dele
e quando dispõe de seus amados um breve companheirismo,
cansas, e prefere conversar com o "consigo mesmo"...
teu medo é teu maior desejo... 

                                                                                             Alexx Albert

domingo, 26 de agosto de 2012

Desencontro

então, puderes dizer que foste só,
e junto, foi-se teu olhar sobre meus fins,
sobre a cara de meus olhos conturbados,
de findar em página avulsa
esses versos de estrofes tortas.
porque tudo que sinto tem um motivo,
e é todo motivo que falta agora,
é toda a história que teve glória
que vaga hoje nesta folha morta...

                            Alexx Albert

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Lagoa

Doces Ventos em Iluminações privilegiadas,
Mesmo as águas não sendo salgadas nem as areias macias
A poesia estava na sua companhia,
Doce como a Ventania...

                              Alexx Albert

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Felicitações

Thai meu amor,
parabéns pra hoje,
sucesso pra sempre...
o tempo passa,
encolhe o encontro,
a idade aumenta,
diminui o tempo,
e é o tempo de novo...
mas a sorte é que ele vem de novo,
e vem novo, novinho em folha...

tem alguma coisa,
dessas valiosas que a gente guarda,
diferente dessas espécies de corridas contra os ponteiros,
que permanecem nas entre linhas e entre meios,
é o carinho que guardo de alguns encontros
e de alguns momentos....

Felicidades e sorrisos,
Parabéns e sucessos máximos,
Porque de mínimos já estamos fartos....

                                          à Thaísa Ayessa Radaelli
                                                Alexx Albert

sábado, 4 de agosto de 2012

Desconfiança


trancado na casa do medo dentro de mim
uma sombra passou e me assustou,
na escuridão, passei por um corredor,
e numa fresta com luz atrás,
espiei de leve
em mansa pupila modificar:
a desconfiança estava lá,
sombria e fria,
e em face de menina ela me zombava,
seus pés voavam e traziam-na pra perto.
O meu teto descia e apertava a companhia do escuro
sucinto
vejo um olhar profundo
inda envolto em cabelos vermelhos
infantis e derradeiros.
A desconfiança a moldar pensamentos
como os dedos da menina no seu cabelo...

                                            Alexx Albert

terça-feira, 31 de julho de 2012

Esse Pardo


eu estou observando 
esse ler
de um estado
em uma concentração,
um homem.
a sua construção de pensamentos,
uma situação de esperança,
os traços delicados e o nariz largo
estou observando esse laço,
esse pardo
encabula!
antes roubei sua ceveja,
agora sua atenção...
                        
                     Alexx Albert

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Postagens

Postagens,
Felicitações e Falta de Vontades.
Qual a maneira de reclamar isso
Sem a obrigação de não falhar depois???
O tempo trouxe o contrário,
E nesse contrário
A permanência de certas coisas indesejadas.
As palavras engolidas,
Deglutidas,
Um dia ainda serão vomitadas
Ou digeridas nos intestinos de nossas mentes!
Se ao acaso essas idéias saírem,
E se,
Somente ao acaso forem entendidas as entrelinhas
Um Laxante serviria à nossa psicologia...

                                                Alexx Albert

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Mudança

 Um menino sabe o seu caminho
Quando os olhos castanhos sorriem de canto
E quando o pranto já passou.
Quando as mãos estão geladas
E soam por elas as lágrimas,
Que a felicidade aprochegou...

                                             Alexx Albert

terça-feira, 17 de julho de 2012

Fidelizar

Aquela coisa escondida lá atrás,
Que vem na memória sempre que a gente baixa,
Sempre que alguma gota escorregadia
Cai de um olhar fragilizado,
É a lembrança terna de um passado que foi bom...
Aí dizem alguns,
(e muitas vezes já ouvi isso)
Que se era feliz e não sabia.
Mas ainda há nesse trocado
Uma sabedoria a saber que esse passado,
Essa reminiscência encostada nas válvulas dos nossos pensamentos,
Não são saudades de alguém em especial.
São saudades de amar e de bem estar consigo,
Por isso que eu digo que a felicidade sempre está,
E se você dividiu ela com alguem,
Esse alguem também cedeu a sua...
Portanto, é momento de buscar uma felicidade completa,
Somente Sua!

                                                           Alexx Albert

terça-feira, 10 de julho de 2012

Enquanto Dure


Desse sorriso escondido
Eu tirei um pequeno trecho
E coloquei em um livro.
Ele vendeu mais do que se vendia bananas
Nos tempos de Miranda...
E a preço de banana,
Tudo se acabou.
Acabaram espaços e memórias,
Acabaram as manias e as discórdias
Porque já nem mais motivo havia,
Pra vida, 
Para as bananas
E para Poesia...

                                   Alexx Albert

sábado, 30 de junho de 2012

Lembrança


Justo agora,
Olha como são as coisas da vida:
Hoje pela manhã
Nada mais entrava na minha cabeça
A não ser você
Nada, além de você...
De todos os desejos, o que eu mais queria
Era um momento em meio aos seu braços,
Risos,
Suas mãos nas minhas mãos,
O seu aconchego em meio a minha segurança
Nada alem disso, nada...
Foram todos os pensamento embora
Embaçados na fumaça do cigarro
Reluzida no sol...
Relembro
E eu quero de novo lembrar
Inda que sozinho, vale a pena!
Relembro!
Até que novamente eu possa estar entre os braços de quem tanto almejo...

                                                                    Alexx Albert

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Suspenso














Demora pra acreditar que assim está certo,
Quando as palavras ficam maiores que as vontades.
A gente pega um pouquinho de tudo e encaixa 
Pra ver se vale continuar tentando forçar as peças sem um molde...
A nossa cabeça pode ser o nosso pior inimigo.
Eu não penso, 
Eu acredito, 
Eu finjo esquecer...
Estou com taquicardias na minha cabeça
E pensamentos no meu coração...

                                                            Alexx Albert

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Clausura


eu estou tenso e triste em tuas mãos
e nem sei mais se são minhas
ou tuas as mão que tenho.

nem sei mais se sinto alguma diversão,
alguma emoção,
se os pés me agradam,
não sei mais se existe balanço nas cadeiras desse encontro
ou na indecisão desse momento...

eu pego teu corpo,
como a tua pele e tiro teus pelos...
quais são os meus sentimentos???

as mudanças, os tormentos, as desculpas
pornografia nas páginas das revistas avulsas
fumaças vermelhas de cigarros cinzas

mudanças altivas de um profundo fracasso,
é de um futuro pro passado.
qual iniciativa a ser tomada???

                         Alexx Albert

terça-feira, 12 de junho de 2012

Escrever


Banha o teu corpo
Nessas águas cristalinas do desejo.
Banha o teu beijo e deixa-o ser banhado pelas gotas do chuveiro
E do suor em meio ao seu quarto.
Pegas a poesia e tira toda a sua rima,
Derruba o abajur do criado-mudo
E embaralha os versos no seu próprio mundo de gemidos e sussurros.
Limpas, e pronto estarás para uma nova discussão.
Tem até às sete horas para chingar as palavras
E depois de fazer as pazes.
Deita-as na cama e chamas uma nova soma
Para instruir as suas intuições de estribilhos, versos e sonidos.
Ao fim da noite terás uma nova lembrança de um velho sonho,
Terás tempo em branco e tempo em que foste louco...
Ah, toques sucintos desses momentos infinitos estão nessas frases,
Estão nessa cama.
Então banhas do teu suor as palavras e mantem a chama
De transpassar esses pensamentos
Para outros entenderem de sua forma.
É um poema novo, com as palavras usadas por todos...

                                                                                                   Alexx Albert

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Entardecer













Ir pra casa já escuro
Me dá saudade do inverno...
As flores passaram,
O calor passou
E agora as folhas caem.

Eu sempre me apaixono na primavera,
Mas já era verão
E por alguma razão
Nenhuma das páginas dos livros lidos
Eram folhas secas voando ao léu.
Eram palavras novas
Em folhas em branco
De livros velhos.

Um novo rumo também incerto
Que adentra agora nesse novo tempo,
Marca as páginas de novas estações
E de novos textos.

Já se passa o inverno
No decorrer em que a página virar
E surgirá o que será do nosso intelecto
Quando a primavera voltar...

Alexx Albert