quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Ta meio Estranho...


Será que uma Palavra tem o poder
De mudar um sentimento repentinamente,
Assim como a falta Dela ?

Em que mar essa Vela repousa???

A ausência de pernas entre outras enroladas
por debaixo de cobertas,
não seria um sentimento de saudade,
Que se não regado, seria rogado,
e tão paulatinamente como surgira,
não passaria a outros cobertores
e outros pelos nesses entremeios???

Em que sexo se encontra esse anseio???

Pergunto então, se só seria válido
como uma solução, essas estradas descobertas
que travam trechos de tempos roubados
como bebidas mal tomadas e misturadas,
para nos levarmos às benditas chegadas???

Quanto tempo é perto pra você???

Você Teria uma mala a Fazer???

                                                     Alexx Albert

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Preservação


que fique esclarecido
que não fui por causa de você,
mas que também foi o melhor da história...
que se futuro for pra ser,
no presente estará...
e agora acho que isso,
mais que uma coincidência 
de algum novo destino,
de algum pedido a uma estrela da madrugada
que caiu por debaixo da Lua às 3 da manhã
Como se fosse um risco nos caminhos,
Nós começamos algo bonito,
e cabe ao nosso tempo, longe ou perto,
mantermos esse tom especial no presente
planejando o futuro
e saudando o pretérito...

                                                Alexx Albert

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Desdobramento de Censuras


eu tenho uma coisa erótica
que está transpassando por isso.
eu não escrevo só as dores
e cargas de precipício por essas palavras!
eu tenho dito em muitas outas coisas
os orgasmos e as sacadas
que essa volúpia proporciona...
aí a Luxuria me chega perto,
depois de eu ter pulado
de mais um breve espaço,
ela tenta
me jogar do penhasco
pra eu repousar no pecado,
e pergunta:
-Porque é que você está aficcionado nisso?
E eu, fumando um cigarro,
sujo,
e Satisfeito ao Ocorrido,
Respondo:
-Ah luxuria,
Não te faças passar por sentimentos
de eterna censura!!!
Luxúria, você não é a Culpa!!!!

                                            Alexx Albert

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Pilares


Um Tempo depois que Nasci,
eu ainda tão pequena carregava
nos ombros, e nos ares de novas moças espanholas,
que fui eu,
a última tentativa de meu pai,
de ter um filho homem....

E vim assim,
parida nessa casa astrológica
rompendo em fogo os mares de continentes,
mudando as folhas de plantas
por papéis de roteiros
e criei Pilares...

Hoje eu faço de tudo um espetáculo.
eu tenho todos os segredos
mantidos e guardados,
eu tenho a força feminina em todos os espaços
tenho tudo
quero tudo que nas minhas mãos couber
Porque criei a minha Vida
com o nome: Mulher...

                                          à Pilar Nuñes Calvin
                                                  Alexx Albert

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Toada Erótica de Coelho e Gato













eu estou me sentindo idiota
nós estamos completamente abobados
é nós, somos nós
falando feito crianças
nesse sentido apaixonado...
é duplo sentido
dupla vibração
é duplo tesão
jorrado e desguarnecido orgasmo nas mãos
coelho e gato
trapo e farrapo
quebrado e assanhado
é um desejo, libido
é um monte de ais presentes
e particípios
é o valor do moralismo dessa paixão de libertinos
que agora, 
a briga dessas toadas eróticas molha,
nunca afaga e soa,
escorre prazer desses poros...
faço sorrir por mim o corpo 
pelas marcas salgadas que sustentas,
e quando por mim passas, 
lambe, beija, tesão, deseja
ereção é via de duas mãos
nessa franquia.
é madrugada na manhã
é tarde da madrugada
é cedo da manhã
é um pouco de delicadeza e açoite
desse teu sentar que me faz gemer de noite.
ah! 
me faz gozar,
no prumo leve 
desse teu tocar ...

                                                    Alexx Albert

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Palavras e Atitude



É desse novo Apego
Que a palavra salta
Novamente
Depois um breve espaço vago
que parecia eternizado
Hoje
Você me disse a coisa Mais Bonita
Que Ouvi em Muito tempo
E teve a Pior Atitude
Também


segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Do Interior


Todos procuram alguma coisa
E escancaram isso,
Eu ando procurando por nada
E pelo caminho do nada
Achei muitas coisas valiosas...
Coisas também já passadas,
coisas fortes,
coisas falsas,
Coisas velhas.

Achei num dia desses uma pedra
Que brilhava mais que as estrelas
dos brincos dessas donzelas.
Achei uma pássaro de planalto,
que se abrigou debaixo de uma lâmpada no meu terraço
Achei um amor e o perdi
Achei um botão de algum casaco velho
Achei um menino frágil
E alguns Sentimentos belos

Tudo isso dentro de De mim...

                                                           Alexx Albert            

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Sorridente


Falando sério,
Eu queria voltar atrás, e recuperar o meu bilhete...
Lembrar já não é mais como viver o que eu Passei,
Impressionante presente que ganhei
Pelas palavras nas portas, nas bocas
E nas nossas almas.

Relembrar dói ou já não me passa nada?
Inventei uma jogada nova pra poder esquecer
Ganho umas, perco outras...
Haverá um momento certo pra isso
Inventado novamente, mas brotado correto em um sonho Sorridente

                                        Alexx Albert

sábado, 8 de outubro de 2011

Subliminar de Cheiro Anexo


Eram as cores Mais Vistas
Vindas de mistérios e com cheiros em anexo.
Antes, os direitos relacionáveis
Não adquiridos,
Dominaram minhas Posturas nobres
Revertendo minhas ideias e sentimentos
Outrora tão corretos e simples,
Mais peregrinos que os de um batalhão Londrino.
Ora Vida, Deixa um pouco mais pra mim:
Raras folhas, novas ondas
Amantes, novidades
Impressões sem fim
Sejam boas, ou Ruins...

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Maneiras

na mão
uma estrada curta
e outra longa.
no papel
um faz de conta
de uma história
que não
parece ter
falhas,
que não
parece entalhar
nas madeiras
postas do coração.
Nada acontece
sem um empurrão seu
Ou de ser empurrado
de leve.
brevemente
tudo muda
e uma atitude partida
se dissolve,
resolvida,
por isso...
  
            Alexx Albert

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Escalada
















as duas montanhas
apresentavam a rigidez da maior beleza
e os picos eram escuros e pontiagudos
era fácil levantar e subir por eles
porque ate a neve viçosa que derretia
brotava de toda a escalada que essas montanhas
proporcionavam:
no escuro ou no claro
na noite ou no dia

por vezes,
subia-se somente pelo tato
e o fato é que todas as dormidas póstumas
eram despertadas por aquela vida,
da beleza de natureza que a adrenalina aplaudia

era o alimento que eu vivia,
acordava e dormia
e cheguei por muitas vezes ate o fim
e a inspiração de respirar aquele ar quando eu subia
fazia eu querer sempre mais
mais subidas
mais montanhas
mais desejos de cravar as mãos nos altos
e escorrer as neves nos morros abaixo

                                                 Alexx Albert

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Duas Lágrimas


me despedi do céu de estrelas
numa xícara de café e meia
que era tão saborosa quanto a penumbra
daqueles corpos trepidantes
de humores inconstantes
que confundiram minha cabeça

me despedi da moça preta e da safadeza
e deixei efervescer num copo de antídoto
o comprimido carnavalesco do teu sangue negro
e de tua máscara de penas

da primeira vez eu chorei porque
foste embora
na segunda porque eu ali estava

                                                                Alexx Albert

domingo, 25 de setembro de 2011

sábado, 17 de setembro de 2011

Pelas nossas "Xanas"


Quantas xícaras pretas
Passarão na minha vida até eu
chegar nessa?

Quantos amores arredios e
Frascos, analgésicos,
Quantas luzes de mistério e sexo?

Quantos partos Sofridos
De filhos enrustidos?
Quantos desejos escondidos eles hão de ter,
Assim como meus erros partidos?

Ela me disse uma Vez
Das criações desses ciclos
Desses moços intrometidos
Que se escondem nos ouvidos...

Ela me disse também,
Que essas vozes profanas
Não passarão nunca, e de forma alguma,
Pelas Nossas "Xanas"...

                                                                          Alexx Albert

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Rainha Entrelaçada


quero tomar chá das cinco com a rainha do terraço
lá a presença dela eh segura
a vista eh profunda
ela não tem daqueles ataques de esnobismo
nem distrata as classes quem lhe dividem
pois perigam se atirar la de cima num suicídio coletivo

quero tomar chá das cinco com a rainha menina
quero que ela me mostre uma poesia
a preferida,
que me desenhe um modelo todo em fitas
quero que ela borde frases sem sentido de escrita
tomando chá em sua porcelana e xícara

quero tomar chá das cinco com rainha das vaidosas
pode ser um modo inesperado
como panturrilhas tatuadas
pode ser com o amor e o buquê em suas taças
pode ate ser na madrugada quando ela caminha pelas manhãs
levando os ébrios em suas casas..

pode ser na divisão lateral
do seu cabelo natural e ondulado
pode ser na artimanha de menina travessa
que sabe mostrar os dias em que odeia as coisas
e que eh a dona
de um sorriso
que destrói todos os caretas!!!

quero tomar chá das cinco com a rainha de condão
que é uma fada, uma bruxa,um moleque brincalhão
e que assim como eu
trabalha com o poder de criação
que nesse veio em meio aos desenhos
recorta páginas,
barulho ,
algodão,
anseios e coração,
e veste as pessoas por entre seus dedos...

para casa um certo dia eu fui levado
numa manhã insana,
de sol e teor alcoólico elevado
e como se já não o fosse
tornei-me grato
e súdito de todo esse reinado...

                                               Alexx Albert

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Morfinas




Preciso de um anti caspa, um Anti fungos
Qualquer coisa que seja melhor
Que qualquer coisa melhor que os imundos
Como assim um pesticida, um odor de naftalina
Uma mulher que está ferida precisa da nossa ajuda.
Uma psicologia, um exame de miocardite,
E nós não temos uma aspirina, um estetoscópio
Nada!
Nós não temos nem um protótipo de um novo medicamento
Que tape esse unguento dessa moça
Que mostre um novo rumo pra essa poça escorrer

Ela tinha o queria ali
Uma mulher está ferida e nós precisamos tirá-la dessa avenida
Ela tinha um bisturi, um pulso e um bolso
Pra guardar e despejar os congestionamentos e desgostos
Daquela rua imunda
E pra que?? Pra que deitar na sarjeta, no esgoto,
Quando a gente tem alguém ao lado pra mostrar
Algum motivo novo??
Pra que ir embora, quando se pedem pra ficar??

Um pesticida, uma aspirina, um anti fungos, uma pomada velha,
Uma Morfina, pelo Amor de Deus...
Pra mim...não pra Ela

                                                          Alexx Albert

"Cúmplices da Vida" ou "Aos meus Irmãos"


Aos meus irmãos,
aqueles que tenho no Sangue e no coração
faço por tudo!!!
Aos meus irmãos que não presto
e que quando contesto, choram comigo:
sonho a beleza para vós!!!

Aos meus irmãos que fazem terapia em conjunto
eu deixo de ter sobretudo um orgulho
e aconselho, sou aconselhado,
mesmo que nas noites de jantas e de tragos
nada que se fale é válido...ainda assim,
a presença é um copo raso,
que vós não cansais de encher...

Aos meus irmãos que me pedem um cigarro,
Que saem na madrugada em busca de bebida,
que bebem na chuva, que exaltam a vida,
aos meus irmãos que sonham um desejo bom
à vós eu devo muito mais que uma mão,
eu oferto aos meus cúmplices da vida
o coração
onde vós achastes um cantinho secreto
e eu entrego a minha vida
nesse tesão mais completo que o sexo!

À vós o meu amor é eterno...

                                                          
                                                            Dedico aos meus irmãos da Vida!!!
                                                                                                 Alexx Albert

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Como se Nada Tivesse Acontecido


Um USB perdido em meio ao colorido,
E quando digo, perco vinte minutos procurando...
Se o acho, ainda é de bom grado, 
Passar as músicas que Canto
Para o Pen-drive que também não encontro!
Acho que eu deveria parar de escrever,
E começar a organizar o que busco entender...

                                                             Alexx Albert

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Ninho de mãos


Meu amor por você
São as eternas Saudades que sinto,
Desde que foste embora.
Quando logo na primeira das horas,
Anotei em um bloco de notas
Os dias que faltavam pra lhe ver,
As frases que não pude lhe dizer,
E as notas que deste som te Soprarei...

Minha dor é saber,
Sobre todos os defeitos existentes,
Não valerem mais
Que apenas um sorriso envolvente,
Que uma bebida trocada quando estamos quentes
Que um carinho desse teu olhar indecente...

Se eu Pudesse
Eu Nasceria de você,
Eu sopraria seus olhos,
E apertaria suas mãos nas minhas mãos
Pra criar dentro delas o nosso Coração...

                                                         Alexx Albert

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Pormenores





Ela lhe dizia palavras belas,
Mas ele já não Acreditava na Beleza...



Alexx Albert







sábado, 3 de setembro de 2011

Deitados

Talvez todas as mentiras de um minuto
Não caibam na sortida saliva,
E por mais palpável que for a língua
Não cabem num fechar de olhos 
De segundos


                    Alexx Albert

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Uma Semana


Faz de Conta
Que essa Doce Lembrança
Não me esteja cortando.
Que esse choro, esse pranto,
Faz de conta seja Alegria,
Que o que eu sempre Queria
Achei nas Suas Palavras sem Rima,
Na breve Relação de Prosa e Poesia
Que a gente Fez em Tão Rápida Agonia.

De ter Desavença antes de Amor,
E Ter no Teu sorriso o Fulgor
Que desabrocha o meu Sorriso
E que Mostra o Caminho do Paraíso
Aqui Mesmo na Terra,
Aqui mesmo onde o tempo Leva
E concreta a Clara Visão de que Eras
Para Mim, Sempre a beleza Terna.

Porque Foste Tu a minha melhor Semana,
Porque foste Tu o curto tormento,
O breve Sentimento Que Paira Até Hoje
Abrupto e Repente.
Prodigiosamente posta na Semana
Onde tudo Passou
Menos os Arranhões nas Minhas Costas.

                                                Alexx Albert

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Para Doar

Meu único arrependimento
é não ter te apresentado à praia
te mostrado a realidade do infinito
que se chama mar,
e só assim você saberia,
tal qual o mar,
o meu sentimento é grandioso
e mesmo que infinito
pode-se chegar a lugares lindos
num horizonte infindo
num por-do-sol sem riscos